Vida sem Fogo PDF Imprimir E-mail
Estudos Bíblicos - por Reinhard Bonnke

Podemos viver sem fogo? Não nesta terra. O universo está cheio de fogo. O sol é um grande globo de incandescência, cada estrela brilha com seu próprio fogo, e mesmo o centro do nosso planeta é fogo – um centro de ferro derretido. Cada vulcão é uma ilustração do caráter de Deus. Ele é um Vesúvio de bondade, vida e energia.

 

 

 

 

 

 

 

Vida sem Fogo

Alguns pensam que Deus está extinto e que publicou livros, cuja reivindicação é simplesmente demonstrar isto. O que aconteceu a Deus? Eles podem também perguntar o que aconteceu com as estrelas! Se elas não estão visíveis é por causa da moderna poluição da atmosfera. Este é o preço que pagamos em nossas grandes cidades – um mundo de lâmpadas, mas sem estrelas. Nestes dias seria muito difícil para os Magos terem uma estrela para guiá-los até Belém. Mas esta é uma alegoria dos dias modernos. As pessoas não encontram seus caminhos até Jesus por causa da poluição. Somos espertos demais pela metade. Ninguém pode ver a Deus através da nuvem de poluição da dúvida e pecado. Mas Ele continua lá, brilhante para sempre.

No Dia de Pentecostes não houve somente fogo, mas também vento. O vento dispersa todo o nevoeiro. Ele limpa a atmosfera tanto quanto seguramente o fogo a aquece. Os discípulos tiveram um montão de dúvidas mesmo depois de Jesus ter ressuscitado dentre os mortos e ter falado com eles. Lemos que Jesus apareceu aos onze enquanto eles estavam sentados juntos comendo. Alguns haviam crido em relatos sobre Sua aparição, mas outros duvidaram; Jesus os repreendeu pela dureza dos seus corações. Mas quando os ventos de Deus rasgaram os céus e se moveram ao Lugar Superior, não ficou nenhuma dúvida. Um furacão e línguas de fogo sobre cada cabeça não era alucinação. Ele alcançou o poder do centro do universo como Ele havia dito. Ele manteve Sua promessa.

A Escala de Pentecostes

Jesus fez todas aquelas coisas depois de ter partido da terra. Que Jesus! Morto? Esquecido? Como um homem morto pode inflamar 120 pessoas vivas de uma vez – e também sendo a primeira coisa de manhã? No entanto, Ele não voltou, se colocou em pé no meio deles e disse, 'Recebei o Espírito Santo.' Você poderia ter pensado que para tal acontecimento histórico e vital Ele deveria ter supervisionado pessoalmente. Na verdade Ele não o fez. O Espírito Santo veio em seu lugar – o Outro Consolador. Ele poderia ser e fazer tudo o que Jesus era e fez. Aliás, tudo que Jesus sempre fez foi pelo Espírito.

Esta é a escala de Pentecostes. Este não foi um acontecimento insignificante ou menor. Jesus nasceu em Belém, a vinda do Consolador aconteceu em Jerusalém, e a vinda do Espírito Santo ocorreu em cada indivíduo como experiência pessoal. Isto é como se o próprio Jesus estivesse de volta novamente e nós somos Seus discípulos. O Dia de Pentecostes não foi algo que os discípulos olharam para trás com nostalgia e esperando. Aquele dia se estendeu por toda a vida deles. Lemos um pouco sobre a experiência deles no Dia de Pentecostes, mas todo o livro de Atos é tomado para contar a estória completa – e mesmo depois disto ainda não acabou! Os fogos de Deus não diminuem com o passar dos tempos. Sua fonte de combustível é eterna e inextinguível.

No tempo de Pentecostes em Jerusalém magníficos aquedutos trouxeram água das montanhas para a cidade de Roma. Agora o que resta daquele notável projeto são ruínas. Os arcos estão quebrados e os canais estão secos. É esta também uma verdade sobre Pentecostes? Será que isto pertence a uma longínqua época, 20 séculos antes dos tempos modernos? Já não existe mais um Lugar Superior, não mais vento e fogo? É uma idealizada e dura representação em vidro pintado tudo o que a igreja agora possui do que uma vez foi sua vitalidade?

Perceba que o próprio Jesus falou: ' E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?' (Lc. 11:11-13).

Agora perceba como Jesus colocou isto. Um filho pede por pão, peixe e um ovo – necessidades básicas da vida. Jesus não fala sobre caviar, mantos de seda, ricos vinhos, ouro, diamantes, e outras luxúrias, mas sobre pão, peixe e ovos. O Espírito Santo também é assim – Ele é um presente sem par com outras vivificantes necessidades. Deus nos dá pão, peixe e ovos todo o tempo e tem feito isto por milhares de anos. Mas Ele também nos dá o Espírito Santo. Eu posso viver sem peixe, pão e ovos. Mas porque eu deveria? Eu não gostaria de tentar! Eu poderia viver sem chocolate e muitas outras coisas, mas porque eu deveria? Então, porque eu deveria viver sem o Espírito Santo?

Continua...