Fé e Medo PDF Imprimir E-mail
Estudos Bíblicos - por Reinhard Bonnke

A essência do medo é estarmos diante de alguma coisa maior que nós mesmos, alguma pessoa maior, ou um Ser maior ou inteligência ou poder. Qualquer coisa que vemos como grande demais é onde nosso medo está. Se nós vemos Deus como o maior, vamos temê-Lo mais do que ao diabo ou ao homem. Se nós tememos mais ao diabo, então o consideramos ser maior do que Deus.


Fé e Medo

Temor é natural e bom, assim como comer e beber. Eles são parte da nossa estrutura, ingredientes normais. Eles também são essenciais à vida humana, incluindo o temor. Mas nenhum deles é sempre bom. Algumas pessoas têm compulsão por comer, algumas são viciadas em bebida, algumas são obcecadas por sexo e algumas são possuídas por medo. Ser glutão, beberrão ou imoral significa que somos culpados; e somos igualmente culpados quando permitimos que o medo domine nossas vidas.

Nós podemos ser dominados pelo medo. E então? Somente a fé pode nos libertar desse domínio. Este é o único antídoto conhecido para a mordida da cobra de ficarmos em alarme obsessivo. Jesus disse, “ Não tema! Creia somente!” (Lucas 8:50). Por que “somente?” Porque é a única coisa que podemos fazer – só podemos crer quando a maldição nos ameaça. É também tudo o que precisamos fazer. Pode ser um caso de grande medo ou de pequena fé, o que nos deixa em perigo amedrontador. Medo e preocupação são assassinos.

Algum temor é bom e outro é ruim. Podemos observar isso na Bíblia. O livro de Provérbios fala disto como virtude quatorze vezes. “O temor do Senhor é o principio da sabedoria. . . ...é fonte de vida . . ...é riqueza, honra e vida,” e assim por diante (Salmos 111:10; Provérbios 14:27; 22:4). No entanto, em I João. 4:18 diz: ”O medo produz tormento. Logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor”.
Se você ler Êxodos 20:20, você vai achar os dois aspectos. “Não temais. Deus veio para vos provar, afim de que o temor a Deus esteja com você para livrá-lo de pecar”.

Como o medo pode ser bom e ruim ao mesmo tempo? A resposta depende de a que ou a quem tememos. Temer a Deus é uma atitude saudável. Quando você teme ao diabo, é um sinal de que você não teme a Deus- aí não existe fé.


Análise do Medo

A essência do medo é estarmos diante de alguma coisa maior que nós mesmos, alguma pessoa maior, ou um Ser maior ou inteligência ou poder. Qualquer coisa que vemos como grande demais é onde nosso medo está. Se nós vemos Deus como o maior, vamos temê-Lo mais do que ao diabo ou ao homem. Se nós tememos mais ao diabo, então o consideramos ser maior do que Deus.

O temor ao Senhor é bom. O Senhor é grande, grande em significância, grande em sabedoria, grande em poder. Temer ao Senhor tem um efeito salutar sobre nossas vidas. É um temor saudável, produzindo o bem. Não podemos dar um passo errado quando andamos diante do Senhor. Se sabemos que Ele nos segura em Suas mãos, vamos “odiar o mal”, como Provérbios diz. Temer a Deus nos faz piedosos.
Temos um respeito saudável por Deus por Seu poder transbordante, mas também por Sua imutável vontade – nada muda Seus propósitos. Ele é grande o suficiente para nos esmagar, mas grande o suficiente para nos mostrar misericórdia. O temor do Senhor é o único temor bom. Outros temores são ruins – ansiedade preocupante, apreensão e pânico, vivendo em mortal pavor. Este é um estado de mente terrível, mas há uma resposta – Temer a Deus e confiar n’Ele.


Análise do pecado

O pecado nas Escrituras está ligado à descrença. Quando não há fé em Deus, não há temor a Deus. A menos que temamos a Deus, certamente seremos pecadores. Se Deus for tratado com impunidade, Seus julgamentos e santidade serão escarnecidos. Descrença em Deus significa que não há impedimento à maldade.

A principal causa de qualquer aumento significante na criminalidade, é a perda da crença no julgamento de Deus. Essa é a prova final. Abraão foi até Gerar e disse: “Com certeza não há temor do Senhor neste lugar”. Então ele estava com medo de que eles o matassem para ficar com sua mulher.

Se nós desprezamos o Seu poder e grandeza, nos restringimos nós mesmos. Deus nos tem mostrado o que Ele é, não somente para que digamos: “Não é o Senhor um Deus maravilhoso!” Não é para nos impressionar, mas sim para nos abençoar. Isto é o que Ele é para conosco. A descrença tira o poder. Paulo disse que ele orou constantemente pelos Éfesos para que isto não acontecesse. “ Eu oro...para que os olhos dos seus corações sejam iluminados para que saibam...Seu poder incomparavelmente grande por nós os que cremos”.

Ninguém acrescenta nada à sua vida por meio da incredulidade. É um poço sem fundo. Fé atua particularmente contra os medos que povoam o futuro. Milhares de outros medos nos perseguem. Então, ou nós tememos a Deus, ou tememos todas as coisas.

Sem fé, as pessoas se voltam para qualquer coisa em busca de segurança, mesmo para as mais inúteis e patéticas direções. As pessoas se voltam até mesmo para as quietas estrelas, estudando os sinais do Zodíaco, procurando por sinais de boa sorte, se lançando como navios náufragos procurando uma pedra na qual se agarrar. Isaías observou isto tudo há cerca de 3000 anos atrás e disse: “ Quando vos disserem: consultai os necromantes e adivinhos, que cochicham e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus?”. A favor dos vivos se consultarão os mortos?”(Isaias 8:19).

O homem que teme a Deus não tem medo de nada. Isto é o que Deus diz: “Não aprendais os caminhos dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam” (Jeremias 10:2). Nós reconhecemos à Deus em toda a Sua grandiosa imensidão e poder para nos salvar; e nada tem maior poder.


Fé Destemida

O apóstolo Paulo foi até regiões da Europa aonde não havia crentes Cristãos convertidos e pregou o Evangelho. Era um ataque aberto sobre a vasta arraigada cultura paganista. O próprio imperador era o guardião chefe de todos os deuses. No entanto, o apóstolo de Cristo desafiou o mundo antigo inteiro e desaprovou o poder da impressionante formação de um cruel império mundial. O Deus de Paulo “ faz do meu caminho um caminho de triunfo.”

Este Cristão desconhecido, um judeuzinho solitário, encontrou a Europa e Ásia cheia de medo: medo de espíritos e presságios, medo dos seus mal humorados e vingativos deuses, medo dos céus acima deles e das profundidades abaixo deles, medo do futuro, medo do mundo misterioso ao redor deles. Milhões se curvaram em escuridão espiritual sob um mórbido temor da morte. O temor de Paulo por Deus o colocou em lugar alto, e ele disse: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro”. Esses são triunfantes da fé!

Escrevendo a Roma, a capital que exerceu domínio mundial com rigidez, ele disse: “Estou convencido que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra criatura, poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 8:38).

O Novo Testamento somente tem uma palavra para medo: “phobeo” - fobia. Jesus disse: “Não tenha fobia, tenha fé.” Jesus não tinha espaço para covardes. Ele disse: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma;temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mateus 10:28).


Incredulidade Temerosa

A maior ilustração Bíblica de incredulidade temerosa e fé destemida durou quarenta anos. É o mesmo que assistir a uma peça com quarenta atos em um palco, retratando a falência total da fé. Continuamos a vê-los com os olhos da nossa mente – aqueles acampamentos das tribos de Israel. Muitas vezes as suas perambulações os trouxeram perto da fronteira da terra prometida. Não era que eles não acreditaram que poderiam atravessar. Eles sabiam que tinham esse direito, pois Deus havia dado a terra a eles. Eles estavam completamente convencidos. A fé deles até aquele ponto era perfeita, mas ela teve um erro fatal – a minhoca do medo estava no seu âmago. Sua fé não tinha valor enquanto eles temessem. Então, a maioria deles não chegou lá. Eles se apavoraram. Eles murmuravam por suas perdas, mas sua fé não era o suficiente para mudá-las. Eles se lamentavam enquanto poderiam ter se esbanjado.

O episódio dos espias teve dez incrédulos e dois cheios de fé. Isto provavelmente é uma média normal – dois a cada dez crêem e obtém o que Deus tem pra eles. Os outros ficam desejando e morrem.


Depressão

Quando Jesus disse: “Não temas, crê somente” (Lucas 8:50), era uma análise profunda dessa emoção. Normalmente dizemos: “Não tenha medo, seja corajoso!” Jesus não disse simplesmente: “Não tenha medo.” Ele sabia muito bem que o medo é parte da estrutura do homem. Ele disse: “Não temas, crê somente.” Durante períodos de melancolia, como quando as Escrituras dizem: “Nem estrelas nem lua aparecem,” confiar em Deus é a âncora da alma. “Em me vindo o temor hei de confiar em Ti” (Salmos 56:3). Aquela É a hora de confiar.

O escritor do Salmo 42 pode ter sido afligido temperamentalmente da mesma maneira, mas outra vez, a fé veio para ajudá-lo. Ele disse: “As minhas lágrimas tem sido o meu alimento dia e noite. . . ...Porque estás abatida ó minha alma? Porque te perturbas dentro em mim?” Parecia que ele não tinha uma explicação racional para sua depressão. Contudo, ele sabia onde obter a força. Ele falou consigo mesmo: “Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxilio e Deus meu”(Salmos 42:3,5).


Fé Não É Sentimento

Isto ilustra uma lição importante: fé não é sentimento. Quando o perigo vem, o medo é inevitável. Quando a nossa química corpórea se arma ao sentir um perigo iminente ou sofremos pesados golpes e nossas circunstâncias são opressivas e escuras, ou quando dor e doença sentam-se conosco, medo e alarme vem, como natural causa e efeito. O que então a fé faz? Ela tira as algemas dos nossos tornozelos, desafiamos seu aperto paralisante e seguimos em frente de qualquer forma. Com Deus, o medo não nos vai parar. Nós o superamos.

Se nós cremos, nada poderá mudar isso - não importa o que nos martela e nos machuca. Jesus disse que seus seguidores deveriam dar as suas vidas por Ele, mas: “não se perderá nem um só fio de cabelo da sua cabeça” (Lucas 21:18). VOCÊ – o verdadeiro você, crê em Deus. A superfície do mar é agitada, mas as profundezas estão paradas. A fé opera sem reações emocionais. Secretamente comunica força na mente e paz de espírito. Você não vai para baixo, mas para cima. Fé nos tira do gancho do medo.

Fé não é somente para o Domingo, mas para a vida toda. Fé não é somente para transpor montanhas (Mateus 21:21). É para VIVER. Deus nos dá graça para viver, se nós crermos. “O justo viverá por fé”. Fé é o fator positivo da vida.